Passar para o conteúdo principal

CIBIO-Açores

O CIBIO-Açores, Centro de investigação em Biodiversidade e Recursos Genéticos – Açores, tem sede na Universidade dos Açores, constituindo-se como um grupo de investigação do InBIO, a Rede de Investigação em Biodiversidade e Biologia Evolutiva. Saber mais

Últimas Notícias

20 Abril 2021
"Research and monitoring of visitor use and impacts in global protected areas: recent trends and future needs"
Enquadrado no programa de webinários Luso Americanos ScienceOn by UAc patrocinados pelo American Corner da UAc, o CIBIO Açores promove a realização do CIBIO-Açores Nature Webinar Series 2021 que constitui uma série de 4 seminários online por cientistas e académicos de várias universidades americanas, com o objetivo de promover os laços educacionais e de investigação entre o EUA e Portugal, assinalando várias datas importantes relacionadas com a investigação desenvolvida no CIBIO e com as temáticas lecionadas no âmbito das ciências naturais da FCT_UAc. Assim, o CIBIO-Açores irá celebrar o Dia Internacional da Terra, 22 de Abril, promovendo a consciência ambiental para a necessidade de preservar a biodiversidade e áreas protegidas do planeta; adoção de boas práticas de turismo sustentável, com a palestra "Research and monitoring of visitor use and impacts in global protected areas: recent trends and future needs" que será proferida pelo Prof. Yu-Fai Leung da Universidade da Carolina do Norte, pelas 17 horas (hora Açores). A inscrição é feita por email, sendo necessária para aceder ao evento através da plataforma zoom, e para obter confirmação de participação.
15 Abril 2021
Biome changes : global and regional expansion of anthromes
Enquadrado no programa de webinários Luso Americanos “ScienceOn by Uac”, patrocinados pelo American Corner da UAc, o CIBIO Açores promove a realização do CIBIO-Açores Nature Webinar Series 2021, que constitui uma série de seminários virtuais por cientistas e académicos de várias universidades americanas, com o objetivo de promover os laços educacionais e de investigação entre os EUA e Portugal, no âmbito da investigação desenvolvida no CIBIO. Este webinário decorrerá no próximo dia 21 de abril, pelas 15:00 (hora dos Açores), com a participação do Professor Erle C. Ellis, da Universidade de Maryland, Baltimore County. Será abordado o tema das alterações globais e regionais do coberto vegetal, ou seja, a transição dos biomas como tipos de vegetação natural dependentes do clima, para formações de origem antrópica, designadas como antromas. O evento contará também com investigadores que abordam estas alterações nos Açores e em Cabo Verde, recorrendo a métodos ecológicos e paleolimnológicos. A inscrição é feita por email, sendo necessária para aceder ao evento através da plataforma zoom, e para obter confirmação de participação.
11 Março 2021
Newsletter Winter 2020/21
O CIBIO-Açores, Centro de investigação em Biodiversidade e Recursos Genéticos – Açores, tem sede na Universidade dos Açores, constituindo-se como um grupo de investigação do InBIO, a Rede de Investigação em Biodiversidade e Biologia Evolutiva. Em 2020 o centro contou com 92 investigadores: 25 doutorados (11 professores, 1 investigador principal, 2 investigadores auxiliares e 11 investigadores doutorados), 11 doutorandos, 7 mestrandos e 49 colaboradores de projeto. Em 2020 o centro publicou 41 artigos e conseguiu obter financiamento a nível nacional e internacional. Desde a sua formação em 2006, a sua atividade centra-se no desenvolvimento de investigação de elevado nível na área da biodiversidade, utilizando os Açores e outros sistemas insulares como modelo. As suas áreas de ação estendem-se dos biótopos costeiros até às florestas naturais e de exóticas, incluindo também a ecologia das águas interiores, a paleoecologia e a paleontologia.
9 Fevereiro 2021
Uma paixão pela biodiversidade das algas
Uma paixão pela biodiversidade das algas Suzanne Fredericq Suzanne Fredericq é Professora de Biologia na Universidade da Louisiana em Lafayette e colaboradora de longa data na Universidade dos Açores. Ela vem de famílias belgas de intelectuais, incluindo mulheres pioneiras em direito, artes e ciências. A sua carreira científica começou como uma rapariga com uma Bolsa do Instituto Weizmann para finalistas do ensino secundário, e continuou até tornar-se numa das mais respeitadas especialistas em algas. Ela falará sobre a sua paixão pela biodiversidade das algas e a sua área de estudo - a sistemática das algas vermelhas marinhas, uma área que pretende detetar padrões de relações evolutivas entre as espécies em estudo. Ela irá ilustrar como a sua abordagem à investigação de algas teria certamente sido menos alegre se não fosse por experimentar analogias na estrutura e processo biológicos, e na arte visual. Ela abordará como a historiadora de arte Marie Fredericq-Lilar, a sua mãe, incutiu nela um amor pela arte e estética, como a escritora Suzanne Lilar, sua avó, incutiu nela um amor pela perseguição intelectual, e como o pintor Eugene J. Martin, seu marido, cristalizou nela a combinação de ambos.